Posts Tagged ‘[Informação]’

Achei este artigo interessante, vou partilhá-lo aqui com vocês….

Muitos donos procuram um cão de guarda para se sentirem protegidos na sua casa. Seleccionados ao longo de séculos para guardar território e proteger os donos, os cães de guarda parecem ser a opção ideal para manter os intrusos afastados, mas, na verdade, ainda há muitos conceitos por desmistificar.

Cão de Guarda vs Cão de Alerta

Existem algumas diferenças entre cães de guarda e cães de alerta. Os cães de alerta são animais que na presença de intrusos, ladram, dando sinal ao dono. A grande maioria destes cães não são contudo capazes de defender o território ou pessoa, uma vez são geralmente pequenos e podem ser facilmente dominados.

Os cães de guarda são cães que pela sua desconfiança em relação a estranhos e pelo seu porte, fazem frente a intrusos, impedindo fisicamente, recorrendo a métodos diferentes, a entrada deste no território que guarda.

Existem contudo cães de guarda que são também cães de alarme, por terem um porte significativo e por serem bastante vocais.

Em alguns casos, um cão de alarme é suficiente para proteger um apartamento, moradia, quintal ou mesmo um território mais vasto, desde que o intruso não consiga identificar o tipo de cão que ladra. Esta identificação tem de ser visual, pois o tom de voz dos cães não permite uma identificação clara do porte. Ou seja, existem cães pequenos com uma “voz grossa” e cães de porte maior, que possam emitir um som mais agudo.

Cão de Guarda vs Sistema de Alarme

Um cão de guarda só deve ser adquirido se desejar um novo membro na família. Se apenas necessita de proteger o perímetro de determinado local, está melhor servido com um sistema de alarme que a longo prazo se torna mesmo mais económico (não há contas do veterinário, ração, treino, etc.).

Os cães de guarda necessitam de interacção com o dono. Apesar da função dos cães de guarda os tornar diferentes dos cães de companhia, a verdade é que um cão precisa sempre do dono. Ou seja, se o cão tiver acesso a um espaço limitado, este tem de ser passeado. Mesmo os cães de guarda gostam de brincar com o dono e nem mesmo os mais independentes dispensam tempo com a família.

Mais Aqui…

Fonte: arcadenoe.sapo

Anúncios

“Estamos cá para deixar uma marca no universo”

Visionário, criativo, irascível, místico, carismático, um dos maiores inovadores, senão o maior, da era digital. Morreu aos 56 anos e deixou a sua marca na vida de milhões de pessoas.

Saiu de cena há menos de dois meses com uma missiva curta e directa: “Sempre disse que se chegasse o dia em que não conseguisse cumprir com as minhas funções e expectativas como presidente executivo da Apple, seria o primeiro a informar-vos. Infelizmente, esse dia chegou”.

Ontem à noite, Steve Jobs não resistiu mais à doença contra a qual lutou desde 2004, um cancro no pâncreas.

A sua morte acontece no dia a seguir à estreia do seu sucessor, Tim Cook, no palco dos lançamentos da Apple que Jobs tornou míticos. Uma espécie de última homenagem ao homem que revolucionou não apenas uma indústria, mas a forma como as pessoas comunicam e se relacionam no século XXI.

Jobs foi quase sempre precoce. Nasceu em 1955, em São Francisco, cidade que seria capital, na sua adolescência, do movimento hippie. Ainda na escola telefonou um dia ao então presidente da HP, William Hewlett, o próprio, para lhe pedir peças para um projecto que queria desenvolver.

Conseguiu não só as peças como um estágio de verão na empresa. Fã de Bob Dylan e também dos Beatles, Jobs cresce num ambiente favorável à sua natureza anti status quo que ao longo dos anos iria reforçar.

Foi adoptado por Clara e Paul Jobs que prometeram à sua mãe biológica, Joanne Simpson, dar uma educação universitária a Steve. As coisas não correram exactamente como planeado: ao fim de um semestre, Jobs desistiu do Reed College. Um dos seus primeiros empregos foi como designer de jogos para vídeo na Atari, emprego esse que viria a deixar para poder viajar para a Índia.

Fundou a Apple com apenas 21 anos, em sociedade com o amigo Steve Wozniak, e foi pai pela primeira vez aos 23 anos, de uma rapariga, Lisa, cuja paternidade negou durante vários anos. Posteriormente teve mais três filhos no seu casamento com a actual mulher, Laurene Powell.

O primeiro produto Apple – o Apple 1 – foi construído na garagem dos pais de Steve Jobs, como mandam as boas novelas épicas de negócios do século XXI ( e de sempre). O sonho americano começava em 1976 e o financiamento foi parcialmente obtido com a venda de uma carrinha VW de Jobs. O Apple 1 era garantidamente uma proposta diferente: não tinha teclado nem ecrã, tinha de ser montado pelos clientes e custava 666.66 dólares.

No ano seguinte, os dois sócios apresentaram o Apple II que foi recebido com grande entusiasmo. Era o princípio de uma nova era suportada em evidências hoje tão banais quanto o facto de as pessoas preferirem usar um rato para interagir com o computador e poderem clicar em imagens “para fazer coisas” em vez de escrever textos com instruções à máquina. Os interfaces gráficos assumiam-se, assim, desde o primeiro momento como uma poderosa arma Apple. Depois de um bem sucedido lançamento do Macintosh em 1984, Jobs sairia da Apple em 1986 na sequência de confrontos regulares com colegas e com o CEO que ele próprio tinha ido recrutar à Pepsi, John Sculley .

O que poderia ser para muitos um fim de linha, revelou-se para Jobs um novo começo.

Fundou a NeXT e seguiram-se 10 anos de um outro caminho, à margem da Apple, onde conheceria momentos de extraordinária oportunidade, como foi o da compra dos estúdios Pixar a George Lucas, ainda antes de sucessos como Toy Story.

Em 1996, num volte-face digno dos filmes, a Apple compra a NeXT e Jobs está de regresso à sua criação original. Mais velho, mais experiente e igual e em tudo o resto, Jobs inicia à frente da Apple uma nova e genial etapa, em que seriam criados alguns dos objectos e plataformas que moldam o mundo de hoje: iTunes (2003), Iphone (2007), App Store (2008), iPad (2010).

Jobs deixa uma empresa que vende mais 275 milhões de iPods 100 milhões de iPhones e 25 milhões iPads em todo o mundo. Deixa mais do que isso: uma visão e um exemplo de que é mesmo possível mudarmos o mundo.

Fonte: @SAPO

Reportagem com os brinquedo do Markl

Posted: 22 de Setembro de 2011 in [Humor], [Informação]
Etiquetas:, ,

Fiquei impressionado com a quantidade e variedade de brinquedos, nesta reportagem da revista Sábado, que foi feita ao grande humorista, Nuno Markl

Confirmem neste link

Há cerca de uma semana, vi uma reportagem na TV que indicava que a maioria dos portugueses ainda não estava bem esclarecido sobre o TDT. Hoje, enquanto passava os olhos pelo meu twitter, deparei-me que a Anacom tinha disponibilizado um Guia TDT que prepara os utilizadores para a televisão digital terrestre.

Alguns pontos interessantes do Guia TDT

É tempo de uma nova televisão

  • Mais do que um simples salto tecnológico, a televisão digital terrestre (TDT) representa um salto qualitativo, garantindo melhores condições de som e imagem, para além de novas funcionalidades, a quem só recebe os quatro canais nacionais – RTP1, RTP2, SIC e TVI.
  • Com a TDT, os residentes nas Regiões Autónomas vão passar a aceder aos cincos canais – os quatro nacionais e o regional.
  • Até Abril de 2012, as emissões de televisão analógica chegam ao fim em todo o País,  por fases e por regiões. O início do processo foi a 12 de Maio de 2011, em Alenquer.
Verifique como vai receber a TDT em sua casa

Ligue grátis 800 200 838, para saber se está numa zona de recepção directa – “zona tdt” – ou de recepção por satélite – “zona dtH” – e que equipamento pode utilizar em sua casa.

  • Se estiver numa zona “tdt”Veja se no manual técnico, junto à marca ou na parte de trás do seu televisor
    encontra as seguintes referências: dvb-t e MPEg4/H.264. Encontrou? Então o seu
    televisor está apto a receber a TDT.
    Basta agora, para ver TDT, alterar a recepção para digital e sintonizar automaticamente os canais.
  • Se estiver numa zona “tdt” e nao tiver as referencias dvb-t e MPEg4/H.264Verifique se tem uma entrada SCART (21 pinos) ou HDMI, como estas:

Restante Informação veja AQUI

Fonte: pplware.sapo

Defensores dos direitos dos animais exigem a libertação do gigantesco animal, recentemente capturado nas Filipinas, mas as autoridades locais recusam em nome da segurança da comunidade.

A associação de defesa dos direitos dos animais Peta (People for the Ethical Treatment of Animals ) solicitou ao governo filipino a libertação imediata daquele que é considerado o maior crocodilo do mundo recentemente capturado.

Sobre Lolong, assim foi batizado o gigantesco crocodilo marinho que pesa 1.075 quilos e mede 6,4 metros, recai a suspeita de ter comido um agricultor em julho último e uma rapariga de 12 anos em 2009.

O conteúdo do estômago do animal foi examinado sem que nenhum vestígio de carne humana tenha sido encontrado.

“O governo deverá devolver o crocodilo ao seu habitat natural, em vez de trancá-lo numa prisão”, afirmou Ashley Fruno da Peta. Num claro sinal de stresse, o animal deixou de comer nos dias que se seguiram à sua captura.

Com o destino já traçado – Lolong será a grande atração de um parque natural – as autoridades filipinas já vieram dizer que o animal será mantido em cativeiro a bem da segurança da comunidade.

Fonte: Expresso

As iniciativas de homenagem às vítimas do 11 de Setembro multiplicam-se na Internet e o Facebook acaba de lançar também uma aplicação que convida os membros a relembrar os que perderam a vida há 10 anos.

A iniciativa tem a colaboração estreita do The National September 11 Memorial & Museum e já soma perto de 14 mil likes na página .

Aos utilizadores do Facebook são oferecidas as opções de mudarem a fotografia do perfil ou usarem o seu Estado para homenagear uma das 3 mil vítimas, que é selecionada de forma aleatória ou escolhida especificamente pelo utilizador.

Veja mais aqui

Confira a página do Facebook

Fonte: tek.sapo.pt

10 anos depois do maior atentado Terrorista de que à memória, veja neste site http://noticias.sapo.pt/especial/11setembro/memorias/?hp muitas memórias de quem lá estava nesse mesmo dia, algumas impressionantes mesmo…

  • Eu e uma amiga, Sophie, tinhamos uma entrevista às 10h na torre Sul. Ela chegou mais cedo. A última comunicação que tive com ela foi um telefonema: “Don’t come. I don’t know what happened but don’t come!” Nunca mais a vi.

    Inês