Archive for the ‘[Ambiente]’ Category

Uma esponja, que mede meio centímetro, tornou-se no mais antigo fóssil de um organismo encontrado na Terra.

A esponja, que mede meio centímetro, tornou-se no fóssil de um organismo mais antigo encontrado na Terra. Localizada numa rocha na Austrália, os cientistas que a descobriram, da Universidade de Princeton, asseguram que esta criatura terá vivido no oceano há 650 milhões de anos, no sul deste país.

Segundo o artigo que publicaram na “Natures Geoscience”, é a evidência mais antiga de um corpo fossilizado, 70 milhões de anos mais velho que os animais com concha que tinham este recorde até agora: um “Namacalathus”, que viveu há 550 milhões de anos e que foi descoberto em 2000 por John Grotzinger, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts; e a “Cloudina”, cujo primeiro exemplar se encontrou em 1972 no Sul da África.

Os investigadores, o professor Adán Maloof e a sua aluna Catherine Rose, encontraram o fóssil quando investigavam a Idade do Gelo de há 635 milhões de anos. A sua descoberta implica que a vida animal existia antes, e provavelmente sobreviveu à chamada glaciação “Snowball Earth”, uma sucessão de 10 milhões de anos, considerada como a fase glacial mais longa e intensa.

Alguns especialistas já declararam com surpresa: “Eles descobriram que os animais possam ter surgido na Terra, 90.000 mil anos mais cedo do que se pensava anteriormente “, diz H. Richard, director da National Science Foundation que financiou a pesquisa.

Fonte: Naturlink

O trabalho realizado nos EUA explica que o aumento da temperatura tem causado o incremento da precipitação sobretudo em forma de neve que ao depositar-se na superfície do oceano funciona como isolante não permitindo a acção do calor que vem “de baixo”, para além de aumentar a reflectividade do gelo marinho.

A actual subida da temperatura atmosférica tem sido particularmente intensa no Pólo Norte onde o gelo está a desaparecer a velocidade crescente. No entanto, no Pólo Sul, o degelo não está a ser tão rápido havendo estudos que inclusive dão conta de um aumento da área gelada.

Num artigo recentemente publicado na revista Proceedings of the National Academy of Science é apresentada uma explicação para este aparente paradoxo do proliferação do gelo na Antárctida à medida que a região aquece.

Aparentemente, e segundo os cientistas da Georgia Tech’s School of Earth and Atmospheric Sciences, o que se verifica é que o aumento da temperatura tem acelerado o ciclo hidrológico intensificando a precipitação no Oceano do Sul.

A precipitação em forma de neve ao depositar-se sobre o oceano isola-o do calor que vem do oceano mais profundo, impedindo que derreta “por baixo”. Por outro lado, a neve actua também como reflector da radiação solar impedindo que derreta “por cima”.

Os autores alertam no entanto que à medida que o aquecimento se intensifica o fenómeno deixa de se verificar. Com efeito,  a subida na temperatura atmosférica acabará por aquecer os oceanos, provocando o degelo das massas oceânicas “por baixo” ao passo que a diminuição das precipitações em forma de neve, reduzirá a reflectividade, promovendo o degelo das massas geladas “por cima”.

Fonte: Naturlink

Washington, 22 Nov (Lusa) – A capacidade dos mares absorverem dióxido de carbono (CO2) está a esgotar-se, constituindo mais uma prova das excessivas emissões de gás estufa emitidas pelo actividade humana, adverte hoje um relatório da National Geographic Society.

O relatório indica que, entre 2000 e 2007, com o aumento das emissões de CO2, a absorção de emissões de dióxido de carbono produzido pela indústria diminuiu de 27 por cento para 24 por cento, respectivamente.

“Trata-se de uma queda bastante acentuada e a tendência é bastante clara”, garantiu Samar Khatiwala, oceanógrafo do observatório Lamont-Doherty, da Universidade de Colúmbia.

Fonte: Sic.sapo.pt

Motocicleta elétrica com acesso à internet

Posted: 19 de Novembro de 2009 in [Ambiente]


Os apaixonados por motocicletas que se preparem. A Mavizen acaba de apresentar seu novo projecto – a superdesportiva Mavizen TTX02. Totalmente eléctrica, essa moto de tirar o fôlego foi construída em cima do chassi da KTM RC8 e possui um sistema Linux com conexão a internet via Wi-Fi. Com seus motores eléctricos ela é capaz de chegar a 210 km/h, com 65 km de autonomia.

Os dois motores têm uma potência de pico de cerca de 100hp e puxam a electricidade de uma bateria de lítio-íon. Serão oferecidos três tipos diferentes de baterias, a maior delas com capacidade de 11kWh.

Além do design arrojado e da tecnologia verde, a TTX02 possui recursos de última geração. Entradas USB possibilitam a instalação rápida de qualquer acessório periférico e quando conectada à internet a moto poderá requisitar suporte técnico a qualquer momento. Seu painel com uma tela de LCD permite ainda acesso à Web pela conexão Wi-Fi. Já imaginou visitar o seu blog/site enquanto espera a bateria recarregar?

Os interessados em adquirir uma dessas já podem fazer a reserva. Pela bagatela de £25 mil, esses compradores poderão desfrutar de uma TTX02 a partir de março de 2010, quando as unidades começarem a ser entregues aos seus donos.

Especificações Técnicas da Mavizen TTX02:

•Peso Seco: 110 kg sem as baterias
•Altura do assento: 805 mm
•Entre-eixos: ,430 mm
•Cáster: 23.3°Trail: 90 mm
•Suspensão dianteira: WP-USD, 43 mm
•Curso da suspensão dianteira: 120 mm
•Suspensão traseira: WP-Monoshock
•Curso da suspensão traseira: 125 mm
•Pneu dianteiro: 120/70-17
•Pneu traseiro: 190/55-17
•Freio dianteiro: Duplo disc. Brembo / 320 mm
•Freio traseiro: disco Brembo / 220 mm

Fonte: Ecodesenvolvimento