Arquivo de Janeiro, 2011

A Microsoft está a alertar os utilizadores do Windows para uma nova falha de segurança que identificou no sistema operativo

Considerada crítica pela multinacional, o nível mais alto na avaliação de vulnerabilidades, esta nova falha pode ser utilizada para aceder aos dados pessoais das vítimas.

De acordo com a Microsoft a vulnerabilidade em causa poderá afectar todos os utilizadores do Internet Explorer, isto apesar de ser um bug do próprio sistema operativo.

Tudo porque afecta a forma como o browser lê determinadas páginas e documentos, esclarece a empresa.

A Microsoft já disponibilizou um patch de emergência para a vulnerabilidade, para proteger os utilizadores de potenciais ataques, mas sublinha que está a tentar desenvolver um patch para desactivar de vez a falha.

Fonte: SOL

Anúncios

Google Com Medidas Anti-Pirataria

Posted: 29 de Janeiro de 2011 in [Internet]
Etiquetas:, ,

Já se sabia que ia acontecer e parece que finalmente foi posto em prática. A Google decidiu acatar as medidas impostas pelas entidades defensoras dos direitos de autor e iniciou o bloqueio de termos relacionados com pirataria.

Assim, as palavras relacionadas com RapidShare, MegaUpload,  uTorrent, BitTorrent, etc deixam de estar presentes (como sugestão) na caixa de pesquisa do motor de busca. No entanto quem quiser procurar por estes serviços pode à mesma digitar o nome completo e “carregar em Enter” para que surjam os resultados. A diferença é que no “Instant Search” deixa de haver sugestão automática para os serviços.

Em declarações ao TorrentFreak, o responsável da BitTorrent, Simon Morris, disse que respeita esta decisão do Google, no entanto considera que estas medidas estão a prejudicar a sua empresa e que não é justo este diferente tipo de tratamento.
Também o RapidShare partilhou a sua opinião através do seu blog oficial dizendo que esta decisão prejudica os interesses dos seus utilizadores.

No entanto, e não menos insólito, é o facto de quem quiser procurar por termos do tipo “movies download” ou “download movies” pode facilmente chegar a alguns sites de partilha de ficheiros…

Fonte: WinTech

 

Israel Iz, nasceu em 1959 na cidade Honolulu e faleceu aos 38 anos de idade devido a problemas respiratórios causados pela obesidade mórbida, no dia 26 de junho de 2007. O artista, um jovem cantor havaiano, nas suas composições demonstrava um enorme amor pela sua cultura e raízes, visto ele ser um puro nativo.

O site Russo WinReviews.ru conseguiu obter a mais recente versão do Internet Explorer sendo que é a anunciada pelos responsáveis do site como sendo a versão Release Candidate do IE9.

A build apresentada é identificada como 9.00.8073.6010 (WIN7_IE9_Partner.110113-2300), e inclui algumas melhorias no interface gráfico onde se destaca, por exemplo, a possibilidade de mover as tabs para baixo da barra de endereços, entre outras novidades. Destaque ainda para os testes Acid 3 atingirem os 95% e de alcançar os 116 pontos na compatibilidade com o HTML5. Recorde-se que a versão beta publica tinha apenas 96 pontos nesta avaliação de compatibilidade.

Especula-se que a versão RC do IE 9 esteja disponível publicamente no próximo dia 28 de Janeiro.

Fonte: WinTch

Acabada de lançar a nível europeu, a iniciativa Open Government Data Initiative está agora a ser apresentada em primeira mão ao governo português.

Trata-se de uma iniciativa para promover a importância do ‘Governo Aberto’, em linha com os pressupostos presentes na Agenda Digital da Comissão Europeia e mediante a qual a Microsoft disponibiliza de forma gratuita o acesso ao código de componentes do seu software.

Com o propósito de dar resposta às necessidades que se colocam às Administrações Públicas ao nível de conceitos como interoperabilidade e dados públicos abertos, a Microsoft empenhou-se no desenvolvimento de um programa que respondesse directamente às questões levantadas por governos, organizações públicas e cidadãos para facilitar o acesso à informação dos organismos públicos e melhorar assim a relação dos cidadãos com estas instituições e destas entre si. Objectivo último: tornar os dados e a informação dos cidadãos acessível e legível por todos, durante largos períodos de tempo, incluindo várias gerações.
É neste contexto que a Microsoft acaba de apresentar a Iniciativa Open Government Data Initiative (OGDI), um conjunto amplo de componentes do software Microsoft disponibilizados de forma gratuita, com acesso aberto ao código e baseados na nuvem (cloud) que os governos passam a ter disponíveis para seu uso. O software disponibilizado no âmbito da iniciativa OGDI, que está a ser hoje apresentada ao governo português em primeira mão, após disponibilização a nível europeu há duas semanas, permite a governos e instituições públicas gravar e armazenar dados públicos dos cidadãos e de interesse para o país usando a “nuvem” da Microsoft através da plataforma Windows Azure ™ , a versão do Windows para a nuvem.

Como plataforma aberta, o Windows Azure permite aos programadores públicos utilizar diferentes linguagens de programação como .NET, PHP, Ruby, Python e outras. A iniciativa europeia OGDI está totalmente conforme com a directiva comunitária de interoperabilidade de dados públicos denominada “PSI Directive”, baseando-se e respeitando por isso 4 princípios:

Disponibilidade
Permite a governos como o português publicarem dados abertos em formato reutilizável e inclui de raiz mais dados de mais de 60 governos distintos.
Transparência
Permite aos cidadãos terem uma melhor visibilidade dos serviços disponibilizados pelos seus governos.
• Valor Acrescentado
Permite que empresas independents de desenvolvimento de software desenvolvam novas aplicações informáticas que possam criar mais valor económico local.
• Não discriminação
Os profissionais de desenvolvimento de software que trabalham em novas aplicações e serviços podem utilizar código fonte do software Microsoft, visto que este lhes é disponibilizado de forma aberta. Este facto vai permitir-lhes publicar dados na internet em formatos padrão e interfaces de fácil uso, com APIs (Application Programming Interfaces) abertas, às quais se podem aceder usando tecnologias Microsoft e de outros fabricantes como por exemplo Silverlight, Flash, JavaScript, PHP, Python e Ruby, entre outras.
• Não exclusividade
Disponível como código fonte aberto (open source starter kit) pela Microsoft em Codeplex.

Esta questão da importância da abertura e comunicação/interoperabilidade entre os dados da Administração Pública coloca-se em virtude do aumento exponencial dos volumes de dados electrónicos registados nas últimas duas décadas e a complexidade e incompatibilidade dos sistemas que alojam os dados públicos. O principal desafio passa assim pela aposta no modelo de ‘Governo Aberto’, o qual permite aos responsáveis governamentais disponibilizar os dados através de uma ampla variedade de serviços eletrónicos, com segurança e privacidade intactas, aos quais todos podem aceder e usar como base para a criação de novos serviços e aplicações de interesse e utilidade para os cidadãos.

Segundo Francesca di Massimo, responsável europeia da Microsoft pelo programa OGDI, “esta iniciativa vem ao encontro dos pressupostos definidos na Agenda Digital Europeia, onde a tecnologia e as aplicações interoperáveis são apresentadas como factores essenciais para impulsionar a economia europeia”. De visita ao nosso país para apresentar o programa em primeira mão ao governo português, Francesca di Massimo sublinha a relevância desta iniciativa, “a qual visa possibilitar aos governos a publicação de dados abertos em formato reutilizável e, por sua vez, uma maior visibilidade e transparência dos serviços governamentais perante os cidadãos”.

Temas como a transparência, participação, colaboração e criação de emprego têm vindo a estar no topo das prioridades dos responsáveis europeus, motivo pelo qual, e tendo consciência da relevância das temáticas em discussão, a Microsoft apostou nesta iniciativa que visa tornar mais fácil publicar e reutilizar uma ampla variedade de dados públicos, tais como documentos ao nível jurídico, financeiro, económico e demográfico, entre outros.

A iniciativa “Open Government Data” da Microsoft visa contribuir para o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Comissão Europeia e pelos Estados-membros da UE num esforço de reunir num banco de dados públicos, cujo valor estimado ronda os €27 mil milhões anuais, diversos documentos e informações que podem ser reutilizados e integrados em novos produtos e serviços. Com o exponencial avanço das tecnologias e o rápido crescimento da internet, este suporte de dados públicos europeu apresenta-se como uma eficaz ferramenta de eGovernment. A Informação do Sector Público é a maior fonte de informação em toda a Europa. Estes dados são produzidos e recolhidos por entidades públicas de natureza diversa e incluem mapas digitais, meteorológicos, de trânsito e informação jurídica, financeira, económica, etc. A maior parte desta informação pública pode ser reutilizada ou integrada em novos produtos e serviços que os cidadãos podem usar no seu dia-a-dia, por exemplo em sistemas de navegação automóvel, previsões meteorológicas ou serviços financeiros e de seguros.

Fonte: WinTech

Madrugada Silenciosa

Posted: 27 de Janeiro de 2011 in [Imagens]
Etiquetas:,

Madrugada Silênciosa

Autor: António Leão

Fonte: Olhares