Gripe A: DGS anuncia morte de jovem de 22 anos sem factores de risco

Posted: 2 de Dezembro de 2009 in Gripe A, [Noticias]

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) anunciou hoje a morte de um jovem de 22 anos com gripe A (H1N1) que não apresentava factores de risco.

Com a morte deste jovem, eleva-se para 23 o número de vítimas mortais com o vírus H1N1 em Portugal, segundo a tabela de óbitos da DGS.

O jovem morreu no domingo, sendo a sua morte notificada à Direcção-Geral da Saúde pela Administração Regional de Saúde da Região Centro.

Hoje a DGG notificou o caso à Organização Mundial da Saúde (OMS) e ao Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC).

Dezoito das pessoas cuja morte foi notificada até hoje tinham factores de risco associados e cinco eram saudáveis, entre as quais dois jovens de 22 anos.

Entre as mortes registadas encontra-se um bebé de quatro meses e uma jovem de 24 anos, que tinham factores de risco associados. A maioria tinha mais de 40 anos, indicam os dados da tabela.

Entretanto, as autoridades de saúde estão a investigar a morte de um rapaz de 14 anos que faleceu em casa na segunda-feira e que é autopsiado hoje no Instituto Nacional de Medicina Legal.

O rapaz tinha sido observado no domingo pelo serviço de urgência do Hospital D. Estefânia, em Lisboa, com “queixas compatíveis com quadro gripal”, mas sem febre, nem dificuldade respiratória, nem outros critérios de gravidade clínica, pelo que foi enviado para casa com medicação de suporte, segundo aquela unidade de saúde.

O último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) refere que o vírus H1N1 já causou quase oito mil vítimas mortais em todo o mundo, tendo a doença registado um aumento forte na Europa, com uma subida de mais de 85 por cento de mortes numa semana.

Em Portugal está a decorrer desde 26 de Outubro uma campanha de vacinação contra a gripe A, tendo sido vacinadas no primeiro mês 96 mil pessoas, o que representa 67 por cento das vacinas distribuídas até 24 de Novembro.

As grávidas e os profissionais de saúde têm aderido pouco à vacinação. Dados da DGS indicam que, num universo estimado de 60 mil mulheres grávidas no segundo e terceiro trimestres, apenas foram vacinadas cerca de cinco mil no primeiro mês de vacinação.

Nos hospitais públicos foram vacinados cerca de 17 mil profissionais: 32 por cento dos médicos, 18 por cento dos enfermeiros e 12 por cento dos outros profissionais de saúde.

Por outro lado, a vacinação das crianças com idade entre os seis meses e os dois anos tem tido uma boa adesão, com oito mil doses administradas em pouco mais de uma semana.

A ministra da Saúde tem reiterado o apelo às pessoas para se vacinarem e defendeu uma “concertação entre todos os países” na comunicação à população de modo a diminuir os receios relativamente à vacina e garantir uma maior adesão.

Fonte I Online

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s